Ministérios da Economia e Planeamento e Comércio e Indústria avaliam impacto do PRODESI no sector produtivo de café

2020-08-14

Uma delegação tripartida do Ministério da Economia e Planeamento representada por Milton Reis, Secretário de Estado para o Planeamento, e os Secretários de Estado para o Comércio e para a Indústria, Amadeu de Jesus Alves Leitão e Ivan do Prado, visitaram esta quinta-feira (13), as instalações da fábrica “Angonabeiro”, vocacionada para a transformação de café.

A visita inserida na agenda de acompanhamento financeiro e físico aos operadores nacionais contemplados no âmbito da materialização do PRODESI, visou entre outros objectivos, constatar a aplicação do crédito de 4.950.000.000, 00 AKZ concedido pelo Standard Bank através do Aviso N° 07.

Intervindo no acto em nome da delegação ministerial, Milton Reis, afirmou que era importante visitar e acompanhar a referida unidade fabril porque, esta representa 50% da capacidade de exportação do café nacional para outras partes do mundo.

“É preciso fazer a ponte com a produção do café no campo, para aumentar a exportação e a oferta deste bem no mercado. Por isso, vamos apoiar financeiramente as cooperativas do sector com o valor acima de 50.000.000,00 AKZ num universo de 15 cooperativas distribuídas pelas 18 províncias do país, para aumentar a produção, a disponibilidade e a exportação do café”, disse o Secretário de Estado.

Com o valor concedido pelo Standard Bank à Angonabeiro, é possível a aquisição de um novo torrador industrial para duplicar a capacidade da unidade fabril, reparação e automação da antiga máquina, um novo queimador, uma nova fornalha e abertura de duas novas linhas de embalamento de Café Ginga moído, o que corresponde a uma execução física de 57% das acções preconizadas para a revitalização do projecto.

Com um armazém de 4.000 m² repartidos em 8.000 posições de armazenamento, a fábrica tem uma capacidade produtiva de 200 toneladas de café torrado por ano e 400 toneladas de açúcar por ano, traduzindo-se em apenas 50% da capacidade instalada da fábrica o que tem proporcionado a exportação de 4 a 6 toneladas de café por ano.

A Angonabeiro opera no mercado doméstico desde 1998 dedicando-se à transformação, comercialização e distribuição de café e açúcar das marcas “Ginga”, “Delta Q” e “Adega Mayor”.

Partilha nas redes sociais: