Estudo sobre Dividendo Demográfico de Angola

2019-11-12

Se reforçar os investimentos para acelerar o declínio voluntário das taxas de natalidade, Angola poderá beneficiar do dividendo demográfico. O país pode explorar a sua dinâmica populacional para promover objectivos de prosperidade económica se fizer investimentos estratégicos para acelerar o declínio da fecundidade e melhorar a qualidade do seu capital humano. Um declínio rápido da fecundidade em relação aos níveis actuais alteraria a estrutura etária para uma configuração com um número significativamente maior de pessoas em idade activa em relação aos dependentes e abriria uma janela de oportunidade para o crescimento económico acelerado através do dividendo demográfico. O país pode conseguir um dividendo demográfico considerável e impulsionar os seus rendimentos médios, como tem sido feito por alguns países do Leste e do Sudeste Asiático; por exemplo, a Malásia, a Indonésia, a Coreia do Sul e a Tailândia.

Essa, é pelo menos, uma das conclusões do Estudo sobre o Dividendo Demográfico de Angola, apresentado pelo Dr. Pedro Palata, técnico Sénior do Ministério da Economia e Planeamento.

Estudo sobre Dividendo Demográfico de Angola.pdf

Partilha nas redes sociais: