Recursos Minerais

Introdução


Nos próximos tempos, em larga medida devido ao esforço de aprofundamento da Geologia de Angola que o PLANAGEO (Plano Nacional de Geologia de Angola) representa, deverá assistir-se à consolidação da exploração de outros recursos minerais, bem como à implantação no terreno de novas campanhas de prospecção e pesquisa de recursos minerais. Para além do fomento da iniciativa privada, o PLANAGEO inclui um programa de estudos específicos, onde está consagrada a realização de levantamentos de pormenor para a confirmação de potencialidades e caracterização básica de recursos minerais.

Nos minerais metálicos, as existências (reservas) comprovadas e as potencialidades ou recursos consistentemente fundamentados em modelos metalogenéticos, assentes no conhecimento geológico do território, tem levado a fóruns internacionais, à divulgação das reservas de Ferro, dos projectos para Ouro, das potencialidades para metais base, designadamente o Cobre – caso em que há já reservas provadas – e das potencialidades para elementos de fonte ultrabásica, como são os casos do Crómio, Níquel e Cobalto, conjuntamente com elementos do grupo da Platina. A todos estes, junta-se, com particular destaque, as potencialidades em terras raras que têm já no terreno vários projectos de prospecção e até de avaliação de recursos. A existência de anomalias de fonte nestes minerais, os famosos complexos alcalino-carbonatíticos que ocorrem às dezenas em Angola, estão a atrair o interesse de empresas mineiras com know-how capaz. E, possivelmente, novos projectos surgirão na procura deste valioso recurso mineral.

No domínio dos Minerais e Rochas industriais, o país tem, também, importantes recursos e reservas. A começar com as matérias-primas base da produção de materiais de construção. A industria cimenteira é autosuficiente em matéria-prima mineral. As rochas carbonatadas, o gesso, e alguns componentes menores podem ser encontrados em Angola. As mesmas rochas carbonatadas, quer calcíticas, quer dolomíticas, constituem também um recurso para a indústria de fertilizantes minerais, às quais se juntam as rochas fosfatadas muito conhecidas e com reservas provadas. As areias naturais, os gessos e as argilas, complementam este cortejo de materiais fundamentais para a indústria de materiais de construção. Outros minerais podem também ser referidos, como o quartzo de elevada pureza química, os feldspatos, a Wollastonite e as micas brancas, para referir os que são melhor conhecidos.

Finalmente, as rochas ornamentais, com maior expressão na Huíla, e importante representação no Namibe. O extraordinário maciço de rochas anortosíticas desde há muito que é fonte de explorações do famoso Granito Negro de Angola, conhecido e apreciado no mundo inteiro. A esta notável rocha juntam-se os mármores do Namibe, variados granitos e algumas rochas metamórficas de padrões estéticos variados.