Turismo

Cadeia de Valor


A cadeia de valor do turismo está estruturada a partir da composição de diversos elementos estratégicos. A metodologia proposta permite sistematizar de forma mais incisiva as limitações e as oportunidades do turismo numa óptica de se maximizar o seu potencial.

CADEIA DE VALOR DO TURISMO

Legenda

1. Recursos Turísticos 4. Acolhimento e Cultura
2. Infraestruturas 5.Negócios e Marketing
3. Superestruturas  

Os principais constrangimentos identificados na cadeia de valor do turismo em Angola são os seguintes:

  • Pouca divulgação externa do destino, sobretudo a nível das redes sociais e outros meios de comunicação, o que leva a um certo desconhecimento por parte de muitos potenciais turistas sobre este destino. Em termos de segmentação, Angola deverá apostar na diversificação de mercados internacionais, reforçando entre outros, os mercados de proximidade, isto é, os regionais.
  • Pouca capacidade de rede de internet em várias províncias, limitando a atracção dos segmentos mais jovens.
  • A cultura (existência de museus por exemplo) encontra-se pouco explorada. O seu desenvolvimento poderá constituir um forte factor de diferenciação relativamente a outros países.
  • Algumas Províncias pensam que seria importante ter mais voos de ligação entre Luanda e as mesma. Alternativamente, deverão ser potencializados aeroportos internacionais nessas províncias. Paralelamente, foi referido que faria sentido ter mais postos fronteiriços ao longo da sua fronteira.
  • Ausência de informação sobre acessibilidade aos monumentos e sobre a história local limitando a experiência turística.
  • Ausência de sinalética rodoviária bem como a existência de estradas em muito mau estado.
  • Pouco aproveitamento das vendas ambulantes para apoio ao turismo. Será importante atrair essas pessoas para o mercado formal e integrá-las num processo de desenvolvimento apoiado pelo turismo.  A título complementar, como já vai existindo de forma tímida, pode-se e deve-se formar guias locais.
  • Um dos maiores constrangimentos decorre da política de vistos que é fortemente burocratizada e morosa, representando um desincentivo de deslocação para Angola em detrimento de outros destinos.
  • Angola deverá pensar a criação de um destino com selo de “Sustentabilidade” e deverá trabalhar nesse sentido.

 

Tendo as principais fragilidades nos segmentos do turismo, é importante perceber em que estado se encontram face aos objectivos do PRODESI: diminuir a dependência da importação, capacidade de substituição das importações e o potencial para aumentar a exportação:

 

A. Recursos Turísticos

B. Infraestruturas C. Superestruturas D. Acolhimento e Cultura E. Negócios e Marketing
Dependência da Importação Positivo Médio Médio Positivo Médio
Capacidade de Substituição das Importações Positivo Negativo Positivo Positivo Médio
Potencial de Exportação Positivo Negativo Positivo Médio Negativo

Os segmentos da cadeia de valor infraestruturas e negócio e marketing têm uma elevada dependência das importações e, a curto prazo, têm pouca capacidade de substituição de importações e pouco potencial de exportação. Ainda assim Angola nos segmentos recurso turísticos e acolhimento e cultura, apresentam fortes possibilidades de contribuir a curto prazo para os objectivos do PRODESI.